Você já parou pra perceber quantas coisas você faz na sua vida, pessoal e profissional, que contribuem para que você tenha sempre os mesmos resultados? Se você colocou a sua vida no “piloto automático” e tenta heroicamente equilibrar todas as infinitas atividades diárias, existe uma grande chance de você não estar parando pra pensar e refletir em como você pode estar jogando o seu tempo pela janela, criando aquela sensação desconfortável de “perda de tempo”.

Eu sempre começo os meus Workshops sobre Gestão do Tempo falando sobre algumas coisas que você pode perder e recuperar posteriormente, como dinheiro, saúde e emprego. Mas o tempo que passou não volta mais, “já era”.

Você provavelmente conhece aquelas clássicas expressões do tipo “chover no molhado”, “enxugar gelo”, “dar murro em ponta de faca”. A maioria delas faz referência a tentar resolver uma mesma situação do mesmo jeito, ou até considerar uma tarefa impossível de ser realizada.

E as pesquisas?

O termo mindset pode ser traduzido como configuração da mente, a forma ou modelo mental que cada pessoa tem em relação às várias áreas da vida. Segundo Carol Dweck, professora de psicologia da Universidade de Stanford, o nosso mindset explica o nosso modo de ver e lidar com a vida.

Carol é uma pesquisadora obcecada pela ideia de compreender como as pessoas lidam com fracassos. Com o desafio de entender o tipo de mindset capaz de transformar o fracasso em um dom, ela começou a observar e analisar crianças e estudantes resolvendo problemas difíceis, utilizando quebra-cabeças.

Enquanto algumas crianças preferiam alternativas mais seguras, evitavam errar e se entusiasmavam com o que era fácil, outras adoravam desafios, buscando novas soluções e ansiando por problemas cada vez mais difíceis.

Esses dois tipos de comportamento foram classificados no que ela chamou de “Mindset fixo” e “Mindset de crescimento”.

Uma pessoa com um mindset fixo acredita que nasceu com talentos e dons que não podem ser modificados ao longo da sua vida. E isso faz com que ela tenha pensamentos negativos, podendo se sentir desmotivada e paralisada quando enfrenta dificuldades.

Uma pessoa com mindset de crescimento anseia por desafios, escolhe sempre o novo, o mais difícil, vai além dos seus limites. Sente atração pelas dificuldades, e muitas vezes chega a afirmar que “se for fácil não tem graça”. Aproveita as oportunidades, prioriza o aprendizado e encara os seus erros como uma forma de aperfeiçoamento contínuo, buscando sempre a melhoria contínua.

Para a Carol Dweck, apenas habilidade e talento não são garantias de sucesso. Por exemplo: elogiar a inteligência e habilidade dos nossos filhos não necessariamente reforça a autoestima ou a realização de tarefas, podendo até ter efeito contrário. Com o mindset adequado é possível superar desafios e alcançar objetivos pessoais e profissionais.

(Conheça mais sobre o livro Mindset no meu blog, clicando aqui)

 

A cada dia você ganha de presente 24 horas, pra fazer o que quiser. E depende somente de você decidir como vai utilizar esse presente. Você pode usar o seu tempo para continuar fazendo as coisas sempre do mesmo jeito ou então mudar o seu mindset para aprender algo novo, identificando oportunidades e encarando novos desafios em busca de melhores resultados.

O que eu acho mais legal é que quando você aprende a lidar com o seu mindset, descobre também como pode ajudar as outras pessoas – os seus filhos, familiares, colegas de trabalho, sócios, funcionários – de um jeito que todos possam caminhar e crescer juntos.

E você, o que vai escolher para o seu futuro?

Manter um mindset fixo ou aprender a desenvolver um mindset de crescimento?

 

Adelaide Giacomazzi
Cel: (11) 99881-0330
Imagem: Pixabay