Sempre fui uma das melhores alunas da classe, passei no vestibular na 1ª lista, me formei super jovem em direito, passei na OAB de primeira… e sempre tive a certeza de que seria uma advogada séria, cheia de processos, audiências e reuniões. Logo depois me casei com um namorado da época de adolescência. Ou seja, aos 24 anos achei que estava com tudo resolvido na vida – como se a vida fosse um grande checklist onde alcança o sucesso quem marcar mais itens em menos tempo.

Que bobagem… mal sabia que nada disso seria importante ou faria alguma diferença…

Aos 26 anos comecei a questionar o mundo do direito. Mudei de área (saí do contencioso, que lida com processos e juízes e fui trabalhar com contratos, algo que fazia muito mais sentido pra mim naquela época) e, apesar de estar feliz com a descoberta de uma área “nova” eu não me sentia completa. Comecei a fazer cursos na área de moda, coisa que sempre me interessou, mas que eu nunca soube muito bem porquê.

Nessa mesma época, meu 1º casamento acabou e eu meio que deixei tudo isso de lado pra viver o luto do fim e lidar com todo o aspecto prático em que isso implicava. Ao mesmo tempo, me joguei de cabeça no trabalho pra afogar as mágoas e me tornei a melhor profissional que eu podia ser naquela época.

Galguei promoções, troquei de emprego, passei a ganhar mais, fui morar sozinha e cresci muito profissionalmente. Fiz cursos, viajei (muito) a trabalho e com tudo isso comecei a vislumbrar a real possibilidade de ter “o” cargo que eu sempre quis – ou que sempre achei que queria. Minha promoção estava logo ali, virando a esquina 🙂

Nessa mesma época, engravidei pela primeira vez, do meu então namorado – hoje maridão. Decidimos nos casar e entre a descoberta da gravidez e o casamento perdi o bebê. Foi uma fase muito difícil, mas também fundamental para que eu entendesse o que REALMENTE era importante na vida – e isso certamente não incluía marcar itens de um enorme checklist.

Mesmo com a perda, seguimos nossos planos, nos casamos e logo depois engravidamos novamente. Nessa mesma época eu estava passando por uma fase muito ruim no trabalho – por causa “daquela” promoção, que ainda não havia chegado e parecia estar cada vez mais longe. Me sentia extremamente frustrada e incomodada com a situação, mas decidi que isso não iria atrapalhar minha saúde (nem física, nem mental), muito menos a do meu bebê.

E como o universo sabe das coisas, por problemas pequenos (mas bem desconfortáveis) acabei sendo afastada do trabalho nos últimos meses de gestação. Isso me ajudou a refletir o quanto valia a pena me estressar por causa dos problemas dos outros, trabalhar pela agenda dos outros, por causa de grana ou um cargo bacana no cartão de visitas, que, diga-se de passagem, acabou não chegando…

E foi nesse momento de reflexão e autoconhecimento forçados, uns dias antes do nascimento do meu filho mais velho, que eu me lembrei que havia um curso de formação em consultoria de estilo que eu já queria fazer havia tempo – mas até então, a carga horária pesada do trabalho de advogada de grande empresa não permitia a dedicação que eu gostaria de ter ao fazer o curso.

Só que dessa vez o tal curso aconteceria quando meu filho teria cerca de 3 meses, ou seja, durante a licença maternidade, e meu marido me deu o maior apoio para me matricular.

Fiz o curso e posso dizer que foi aí que encontrei o meu propósito. Aprendi que poderia usar a moda, que tanto gosto, para ajudar as pessoas a se sentirem melhores com relação a elas mesmas.

Aprendi que todo mundo tem estilo, que dá pra ser feliz com a sua aparência mesmo não sendo a Gisele Bundchen – alta, magra, loira e rica – e que eu posso ensinar como fazer isso a outras pessoas. Aprendi que é possível sim viver de um trabalho que você faria até de graça, se pudesse.

Conheci pessoas incríveis – ai incluída a minha super sócia, a Carlinha – e tive a certeza que existe um mundo muito maior e mais importante do que riscar itens de um checklist.

E foi daí que nasceu a Assinatura de Estilo. Uma empresa cuja missão é democratizar o acesso ao serviço de consultoria de estilo e que acredita que não existem regras, must-haves e peças coringa absolutas (afinal, tudo vai depender do que funciona pra vida de cada um). O que nos deixa muito orgulhosas de tudo o que construímos nesses quase 3 anos de empreendedorismo!

Carol Caliman é empreendedora, consultora de estilo e sócia-fundadora da Assinatura de Estilo.
Instagram: @estiloassinatura
Foto: Acervo pessoal.