No que você é boa? O que você sabe fazer de melhor? Quais suas maiores qualidades? E seus maiores defeitos?

Quem aqui já passou por um processo seletivo e teve que responder essas perguntas sabe o quanto pode ser desesperador não ter todas as respostas. Isso faz a gente se colocar em dúvida e pode até acontecer de entrar numa pequena crise existencial e se fazer a famosa pergunta “quem sou eu?”

E não é só em entrevista de emprego que esse tipo de situação acontece. Na hora de empreender, a gente precisa saber com segurança quem é, o que fazemos de melhor e aceitar aquilo que não fazemos tão bem assim, tudo isso pensando no bem do nosso negócio.

Aí, a jornada do autoconhecimento nos pega pela mão e faz a gente sair da zona de conforto para refletir sobre essas questões. Mas afinal, quais são os benefícios de saber seus pontos fortes?

Eu trabalho com marcas e pela minha experiência acredito fortemente que uma marca é reflexo de quem a criou. Ela pode ser construída a partir de uma perspectiva de quem você é na sua essência e é isso que conquista as pessoas e faz uma marca ser amada por elas!

Vamos supor que você já possui uma marca, um nome, uma identidade visual, ok? Isso já representa algumas coisas para as pessoas. Agora vamos somar alguns de seus comportamentos, talentos, habilidades e tom de voz. Esse conjunto vai comunicar quem você é enquanto pessoa e enquanto negócio.​ Isso é chamado de personalidade de marca!

Por exemplo, se você se expressa muito bem, provavelmente em alguma partezinha da sua marca, isso vai aparecer​. Pode ser nas cores, na linguagem, no tipo de produto que você vende ou no seu atendimento.

Resumindo, sua personalidade, comportamentos, qualidades, defeitos andam lado a lado da sua marca e fazem parte dela.

E quando você tem um sócio e uma equipe para cuidar, essa personalidade também se destaca nos processos. Saber seus pontos fortes pode ser um grande aliado​ na hora de se comunicar com a equipe, motivar, resolver conflitos e superar desafios. Suas habilidades refletem na maneira que você lidera​!

Consegue enxergar a dimensão​ que isso pode tomar se a gente não tiver consciência de quem a gente é?

Os negócios que não tem propósito​ são criados assim, com informações aleatórias, rasas e não-verdadeiras. Uma marca assim pode até dar certo por algum tempo, mas vai ter dificuldade de se posicionar​ no mercado, é bem provável que brigue muito por preço com os concorrentes e não vai sobreviver a longo prazo, porque as pessoas não conseguem se identificar com uma marca assim, elas buscam algo a mais: buscam uma conexão.

Pra criar essa conexão, você precisa antes de tudo se conhecer melhor​ e aprender a refletir aquilo que você deseja através da sua marca e do seu negócio. E a gente só se conhece melhor exercitando e praticando​ muito!

E como você pode começar a reconhecer​ seus pontos fortes​? Segundo Marcus Buckingham e Donald O. Clifton, autores do livro “Descubra seus pontos fortes”, um ponto forte é algo que você consegue executar com facilidade​, com baixo ou nenhum esforço​ e que atinge uma qualidade acima da média​. É o tipo de coisa que você faz e alguém fala: “nossa, você é muito bom nisso! Como você consegue?”

Para ajudar nessa tarefa, vou ensinar um passo a passo​ para você identificar seus pontos fortes:

Passo 1: Faça uma lista

O primeiro passo é fazer uma lista com as suas maiores qualidades​, aquilo que você faz muito bem.

Por exemplo: sou boa em:

– Escrever

– Resolver conflitos

– Facilitar processos

– Organização

– Relacionamento interpessoal

– Cumprimento de prazos

Passo 2: Traga novas perspectivas

Peça ajuda​ para as pessoas ao seu redor, colegas de trabalho, família e amigos para mapear seus pontos fortes. Eles podem trazer uma nova perspectiva​ e vão identificar alguns pontos que você nunca havia pensado antes.

Passo 3: Coloque em ordem de prioridade

Observe sua lista completa e comece a priorizar​ os itens, fazendo a seguinte pergunta: Qual dessas habilidades eu mais domino?​ Qual delas eu tenho mais conhecimento?

Coloque essas por primeiro. Para as que sobrarem, você pode fazer a pergunta: Qual delas eu preciso/quero desenvolver melhor​?

Por exemplo: sou excelente em:

– Escrever

– Organização

– Cumprimento de prazos

– Facilitar processos

Mas gostaria de saber mais sobre:

– Relacionamento interpessoal

– Resolver conflitos

Passo 4: Mapeie seus pontos fracos

O quanto é importante a gente saber sobre os nossos pontos negativos? Eu diria que é apenas importante mapear​ eles, ter conhecimento que eles existem, porque desenvolver um ponto fraco é desperdício de tempo e esforço​.

Um ponto fraco é algo que não é natural para você​, que você não domina e não faz muito bem. Se você tenta desenvolver ele, vai precisar de muito mais conhecimento, estudo, dedicação, tempo e esforço para torná-lo um ponto forte (e mesmo assim ele não estará no mesmo nível dos seus pontos fortes, que já são naturais para você).

Por tanto, faça uma lista do que você imagina que são seus pontos fracos, e novamente peça ajuda para outras pessoas identificarem​ isso com você.

Por exemplo:

Não sou muito boa em:

– Estruturar grandes projetos

– Criar ou gerar novas ideias

– Trabalhar sob pressão

– Negociar

E de agora em diante, pense que só saber que eles existem é o suficiente, ok?

Uma marca e um negócio só crescem quando a gente cresce. E a gente cresce dando de cara com várias questões que geram reflexão e que nos mostram que somos em essência.

Isso é o que faz a diferença no empreendedorismo, buscar fundo sua identidade, se conectar com as pessoas e gerar afinidade!

 

Alessandra Boldrini

https://www.instagram.com/alessandraconsultoria/