O termo procrastinação é muito conhecido, e significa adiar uma tarefa ou deixar uma situação para resolver depois. Procrastinar pode ter as suas vantagens. Segundo Adam Grant, autor do livro “Originais”, quanto mais você procrastina, maior a chance de ser uma pessoa criativa, pois estará dando mais tempo para o seu cérebro processar as informações e fazer conexões.

Por outro lado, o ato de procrastinar muita vezes pode ser prejudicial, quando começa a impactar a sua rotina, tirar seu foco e concentração, afetar a sua produtividade, aumentar o seu nível de stress e ansiedade, afastando você de atingir seus objetivos e ter melhores resultados. Para quem é empreendedora, o fato de não começar uma atividade, demorar pra terminar, ou desistir antes de acabar pode fazer com que a sua excelente e inovadora ideia seja lançada por outra pessoa ou empresa.

Mark Murphy, autor do livro Metas que desafiam, cita que 20% das pessoas na fase adulta são considerados “procrastinadores crônicos”, e que 94% de pessoas declarou que a procrastinação prejudicava a sua felicidade. Além disso, a procrastinação está fortemente ligada a problemas de saúde e situação financeira insatisfatória. (veja um resumo desse livro em meu blog, clicando aqui).

Um dos motivos para a procrastinação acontecer é a pessoa ter dificuldade de lidar com as distrações. E o primeiro passo para lidar com as distrações é perceber porque que elas existem.

Você já parou pra pensar que muitas vezes você mesma pode estar procurando por distrações, como uma forma de encontrar boas desculpas e poder justificar porque ainda não realizou uma atividade?

Não são os outros que te distraem. É você que se deixa distrair.

Você precisa estar consciente dos momentos em que anseia por uma distração. Se você está adiando uma atividade é porque, lá no fundo, pode ter algum bloqueio, falta de conhecimento ou habilidade, medo ou receio, e tudo o que contribuir para te ajudar a não executar aquela atividade pode ser muito bem vindo e aceito.

Quero sugerir que você faça um breve exercício de reflexão e ação.

E que tal fazer isso AGORA?

1. Anote em um caderno, folha de papel ou no seu celular quais são as principais distrações que te impedem de realizar uma tarefa que você está constantemente adiando

2. Após identificar as distrações, defina o que vai fazer quando cada uma dessas distrações acontecer. Exemplo: quando acontecer … [distração], eu vou fazer … [ação]

Fazendo essa lista você vai se preparar para lidar com cada uma das situações que te distraem, evitando parar o que está fazendo para realizar outras atividades.

Lembre sempre de focar no seu alvo, no seu objetivo. (para conhecer um pouco mais sobre esse assunto, acesse meu e-book gratuito clicando aqui).

Crie o hábito de começar a perceber no seu dia a dia os momentos em que essas distrações ocorrem, e comece a lidar com elas de forma consciente. Pode existir um certo desconforto no início, quando você não só perceber as distrações como também começar a evitá-las. Mas esse desconforto pode te ajudar muito no sentido de começar a realizar as ações que você precisa para iniciar (e concluir) as atividades que está procrastinando.

“A procrastinação de longo prazo faz a pessoa se sentir como espectador e não protagonista de sua própria vida. E a frustração pode acontecer não pelo fato de não conseguir alcançar seus objetivos e sonhos, mas por não ser capaz de começar a persegui-los”. Tim Urban, blog waitbutwhy.com

Adelaide Giacomazzi
Cel: (11) 99881-0330
* Imagem: Pixabay