Eu sou a Nara, co-fundadora da CIA. Empreendedora. Resolvi contar um pouquinho da minha história profissional para que vocês me conheçam um pouco. E, também para mostrar que o caminho do Empreendedorismo não é fácil e nem sempre é um mar de rosas, mas que no final do dia é extremamente satisfatório.

Adolescência e Escolha Profissional

Quando eu era adolescente e precisava prestar vestibular não sabia que fato o que fazer e o sentimento mais forte me dizia para fazer administração de empresas.

Meu pai que era advogado em convenceu a fazer direito e o argumento dele (como um bom advogado) era excelente: “O Direito sempre irá te servir para qualquer escolha profissional!”

No começo da faculdade confesso que fiquei encantada com toda a história do direito… Todas aquelas teorias filosóficas a respeito do direito desde a antiguidade me fizeram pensar seriamente em ser juíza. Aí comecei a estagiar em Porto Alegre, onde nasci e morei até completar 25 anos. Depois fui morar no Acre (pois é, o Acre existe gente!), advoguei com meu pai durante quase três anos e então o amor falou mais alto e vim para São Paulo. Por aqui advoguei em três escritórios completamente diferentes.

Depois de 10 anos e de inúmeras decepções com a advocacia, com os servidores do judiciário (incluindo Juízes e Desembargadores) resolvi parar e pensar na vida. A vida profissional mais me trazia decepção e tristeza do que alegria e aí alguma coisa estava errada.

Virar Mãe e Criar uma Empresa

Tive dois filhos e quando estava em casa cuidado deles fiquei pensando o que poderia fazer. Que missão que eu tinha na minha vida, que trabalho eu poderia fazer, ser feliz, ganhar dinheiro e ficar mais com meus filhos???

Quando meu segundo filho estava com 20 dias, numa madrugada quente em São Paulo me veio uma luz! Porque não montar uma loja online (um pouco maluca para o ano de 2009) que só tivesse produtos que ajudassem as mães no dia a dia delas? Produtos inovadores, úteis e que fossem realmente auxiliar a mãe e os filhos!

Contei a ideia para uma amiga e viramos sócias na Universo Materno. Confesso que tinha vergonha de dizer que estava montando uma empresa, que estava investindo dinheiro… Parecia um sonho de criança pequena, sabe?

Enfim, a sociedade não deu certo no mesmo período que me mudei para o Espírito Santo (pois meu marido foi transferido a trabalho). Resolvi então empreender sozinha! Tocava a loja online lá de Vila Velha, com funcionária aqui em São Paulo e ganhava minha graninha interessante. Mas o que mais me dava satisfação era quando uma mãe me agradecia pelo produto que ela tinha comprado dizendo que estava realmente sendo útil!

Nestes 8 anos de empresa fiz inúmeros cursos de formação, desde contabilidade no Senac, Empretec (um dos melhores), palestras, eventos, feiras, até um MBA em Gestão Empresarial na FGV.

Em 2012/2013 aconteceram dois eventos que me marcaram muito, a morte dos dois pais com 28 dias de diferença. Entrei em depressão profunda e a única coisa que me fazia acordar pela manhã eram meus filhos, meu marido e a minha empresa. Me sentia um zumbi, mas continuava lá!

Final de 2013 voltamos para SP e eu resolvi que queria mais da minha vida, que manter uma loja online não exigia tanto de mim, não me desafiava! Então vendi a empresa no finalzinho de 2015 para virar mais uma página e pensar no que fazer.

Novos Projetos e o Início da CIA.

Início de 2016 eu comecei a trabalhar com marketing digital, pois já tinha muito conhecimento e prática no assunto! Entre um cliente e outro entrei no projeto do Mundo Mais Bellas, conheci a Marina e iniciamos nossa jornada juntas na CIA. Empreendedora.

Tudo começou com um sonho: conectar empreendedoras! Ajudar, auxiliar, ensinar, pegar na mão, olhar no olho e dizer você consegue!

O trabalho com a Marina flui de uma maneira fácil, gostoso, divertida. O assunto é fascinante e precisa ser explorado! As mulheres querem abrir suas empresas! Querem ser empresárias de sucesso, querem chegar lá! Mas querem cuidar dos filhos, querem estar presentes na vida de suas famílias, depender cada vez menos de “funcionárias” em casa. A sociedade está mudando, todos estão se reinventando.

Descobrimos todos os dias os anseios dessas mulheres, procuramos locais para eventos, vamos atrás de palestrantes, fazemos reuniões com parceiras, fazemos pesquisas, conversamos, trocamos ideias e muitos e-mails e mensagens com muitas empreendedoras!

Temos um sonho lindo para a CIA. Empreendedora!!!

Eu? Estou feliz, realizada e com muito trabalho e principalmente vontade de trabalhar! Claro que não quero fazer filantropia puramente, quero ajudar sim, quero conectar sim, mas quero pagar minhas contas! Porque não juntar tudo isso?

Nara Duarte Pinski
Empreendedora e Fundadora da CIA. Empreendedora
Instagram: @ciaempreendedora