“Filha, o mundo não vai acabar amanhã”, disse meu pai. Parece que foi ontem que eu ouvi ele falar isso. Eu tinha 16 anos e tinha acabado de entrar na faculdade. Na verdade, nas faculdades, de Administração e Ciência da Computação. Na época meu pensamento era: por que fazer uma faculdade se eu posso fazer duas? E eu ainda encontrava tempo e disposição para ir nadar cedinho, ir nas aulas de inglês e violão, além de ser representante de turma, organizar eventos, festas e viagens.

Infância e adolescência

Eu sempre fui uma criança muito agitada, sorridente, de bem com a vida e muito sonhadora. Adorava livros, música, escrevia alguns poemas, admirava a lua, e imaginava um mundo perfeito, com direito a príncipe encantado e um futuro maravilhoso, com todos os meus sonhos se realizando. Além de brincar de ser mãe, eu também gostava de imaginar que eu era professora. Reunia todas as minhas bonecas e passava muitas tardes dando aula de matemática para elas, minha matéria preferida.

Tive uma educação tradicional, onde fui ensinada a ser uma pessoa agradável, cumprir todos os padrões exigidos pela sociedade, evitar conflitos, ser honesta, ética, responsável e principalmente não questionar. E à medida em que eu ia crescendo, e enquanto eu me esforçava para desempenhar todos os papéis que eram esperados de mim, eu pensava no que eu podia mudar e como podia fazer diferente.

Mundo corporativo e maternidade

E foram mais de 25 anos de desafios no mundo corporativo, trabalhando em empresas de grande porte (Petrobras, GVT e Grupo Boticário), empresas startups, além de ter trabalhado na empresa do meu pai e na minha empresa quando minhas filhas eram pequenas.

Fui mãe aos 32 anos, depois de 6 anos de tentativas e diversos tratamentos para conseguir engravidar. Um ano e meio depois fui abençoada com a vinda da minha 2a filha. Nessa época optei por abrir minha empresa de consultoria, para poder ficar mais perto delas e curtir o meu “momento mãe”, voltando para o mundo corporativo quando a pequena tinha 2 anos.

O meu maior desafio sempre foi conciliar a vida pessoal e profissional. Com muita energia, vontade de aprender e ensinar (e uma inquietação constante) sempre me desafiei a organizar e utilizar bem o meu tempo, ser dona da minha agenda e chegar no fim do dia com aquela sensação gostosa de que o dia foi muito produtivo. Além das duas faculdades fiz mais duas especializações, um MBA e um Mestrado (em educação e Novas Tecnologias). Leio no mínimo 4 livros por mês e estou constantemente procurando (e encontrando) novas oportunidades, desafios e projetos.

E o meu lado empreendedor?

Sempre tive um espírito empreendedor, a cabeça cheia de ideias, muita facilidade e agilidade para me adaptar e mudar. Nas empresas em que trabalhei, me lembro de ter falado inúmeras vezes para os meus gerentes e diretores: “eu preciso de um novo desafio”. Ou então: “eu quero fazer mais, eu posso fazer melhor”. Nunca me arrependi de nenhuma mudança significativa que fiz na minha vida. Muito pelo contrário, muitas vezes achei que deveria ter mudado antes.

Quando eu tinha 44 anos precisei fazer cirurgia de emergência. Um mês em casa, tendo que ficar o mais quieta possível, me forcei a fazer uma reflexão profunda sobre a minha vida. Eu estava feliz? Queria continuar no mesmo caminho? Queria continuar na mesma empresa? Foi quando percebi que eu passei toda a minha vida tentando ser responsável, uma boa esposa, uma boa mãe, estudando, trabalhando, fazendo o meu papel na sociedade. Cumpri todas as etapas e requisitos esperados: estudar, passar no vestibular, concluir a faculdade, arrumar um emprego, comprar um carro, casar, comprar uma casa, ter filhos, trabalhar muito. Mas sentia que isso não era o suficiente, que eu podia fazer muito mais.

Eu me questionava: As coisas que estou fazendo tem sentido para mim? Qual é a contribuição que eu estou dando para o mundo? O que estou fazendo para construir um país e um mundo melhor para as minhas filhas?

A decisão por mudanças e a atitude de mudar vieram rápido. Posso falar que “coloquei a minha vida em um liquidificador e apertei o botão na velocidade máxima”.

“Somente quando fechamos algumas portas conseguimos enxergar novas oportunidades e ver as outras portas que se abrem.”

Recomeço

Recomecei uma nova vida, tanto na esfera pessoal quanto na profissional, com novos projetos e mais desafios ainda. Saí do mundo corporativo, fiz meu tão sonhado Mestrado, obtive minha certificação em Coaching, mudei de cidade. Tenho agora mais vivência e maturidade para fazer escolhas conscientes (e planejadas), que façam sentido para mim, que me aproximem do meu propósito e missão de vida e que me permitam deixar uma contribuição para o mundo, um legado.

Continuo sendo uma pessoa agitada e com muita energia, com a sensação de que “o mundo pode acabar amanhã”. E tenho muito orgulho de olhar pra trás e ver quanta coisa legal eu aprendi, ensinei e realizei.

A minha jornada como empreendedora não foi fácil. Como todo ser humano, eu acertei algumas vezes, errei outras, magoei pessoas, me frustrei, tropecei, me levantei… caí de novo, levantei de novo… tudo isso faz parte da vida. O importante é estar sempre aprendendo, tendo atitude para recomeçar, de cabeça erguida, com muita fé, autoconfiança e a certeza de que com planejamento e organização fica muito mais fácil enfrentar os desafios e superar as dificuldades.

Coach e mentora

Atualmente eu sou Coach e mentora para mulheres empreendedoras, empresária, administradora, professora, escritora. São no mínimo 19 papéis diferentes, se for contar que eu também sou mulher, esposa, mãe, madrasta, cuido da casa, dos meus dois cachorros fofinhos… e por aí vai.

Moro em São Paulo, tenho a minha empresa, a Learning Coach, trabalho home office (sem precisar perder tempo no trânsito) e faço a maioria das minhas sessões e Workshops on-line (viva a tecnologia!).

E o mais legal é trabalhar com o que eu amo: planejamento, organização, controle, foco em resultados, números e principalmente pessoas. A minha maior realização – pessoal e profissional – é poder desenvolver e conectar pessoas que querem empreender, mudar, fazer diferente, fazer a diferença nesse mundo. É ajudar minhas clientes, amigas, BFF´s e parceiras a também enfrentarem seus desafios e dificuldades, para que elas também conquistem seus objetivos e realizem os seus sonhos mais profundos.

Adelaide Giacomazzi
Cel: (11) 99881-0330